Cada vez se usa mais os adoçantes como substitutos do açúcar, mas há que ter cuidado com eles, pois apresentam inconvenientes para a nossa saúde. Por isso, neste post vamos ensinar os perigos de adoçantes artificiais. A maioria de nós não podemos viver sem os alimentos doces, são um prazer de que é muito difícil de se privar. No entanto, o seu elevado teor em açúcar faz com que sejam alimentos pouco aconselháveis, se queremos manter o nosso peso e gozar de um estado de saúde ideal. Como dizemos sempre, o seu consumo é necessário e bom, mas sempre de uma forma moderada. O que são os adoçantes artificiais? No mercado podemos encontrar vários produtos químicos artificiais que foram criados para simular os efeitos de açúcar, que estimulam os receptores do sabor doce que temos na língua. Normalmente, essas substâncias não têm calorias, nem os efeitos prejudiciais para o nosso organismo do açúcar adicionado. Estes produtos de que falamos são conhecidos como adoçantes artificiais, ao contrário dos adoçantes naturais, como o açúcar ou o mel. Estas substâncias químicas são muito doces e frequentemente são adicionados aos alimentos e bebidas que se anunciam para perder peso de uma maneira fácil. Em certa medida, pode ser verdade isso, já que praticamente não tem calorias. No entanto, a realidade é que o maior uso dos adoçantes de baixas calorias não parou o alarmante aumento da obesidade nas sociedades mais avançadas. Nos últimos anos foram realizados numerosos estudos que demonstram uma outra realidade: é que os adoçantes artificiais não são tão saudáveis como nos estão vendendo. Diferentes tipos de adoçantes artificiais Atualmente, podemos encontrar vários tipos de adoçantes artificiais, sendo muito diferente da estrutura química de cada um deles. Mas o que todos têm em comum é uma grande eficiência na hora de estimular os receptores do sabor doce na língua. De fato, a maioria são centenas de vezes mais doces do que o açúcar. Apesar de alguns deles sim que contêm calorias, é tão baixa a quantidade necessária para fornecer um sabor doce, que o aporte calórico é insignificante. Adoçantes artificiais e a regulação do apetite Todos os animais, incluindo os seres humanos, não apenas procuram alimentar-se para atender suas necessidades de energia. Também procuramos a chamada "recompensa" da comida. O cérebro conta com um sistema de recompensa, que responde às gratificações naturais de sobrevivência, como comida, água ou o sexo. Os alimentos açucarados fazem com que se libertem substâncias químicas e hormônios, que faz parte deste processo que conhecemos como este sistema de recompensa. Este mecanismo é essencial para sentir-se saciado após as refeições. O problema desses adoçantes artificiais é que fornecem sabor doce sim, mas a falta de calorias impede a ativação completa do sistema de recompensa. Esta pode ser a explicação, de acordo com vários especialistas, que estes adoçantes artificiais estão relacionados com o aumento de apetite e desejos de alimentos açucarados. Em outras palavras, é possível que, se o sabor doce que trazem estes adoçantes não vem acompanhado de calorias, conduzam ao final de um consumo superior de calorias, por não nos sentirmos satisfeitos com as refeições e "beliscar" entre as refeições. Esperamos ter esclarecido com este post que essas substâncias não são tão inofensivas como nos querem fazer ver e que tenhais aprendido os perigos de adoçantes artificiais. Se você gosta de doces e não pode tomar açúcar, você pode tentar com os adoçantes naturais, Veja quais são neste post : Tipos de adoçantes naturais

Post Navigation