A cor dos alimentos, em particular, o dos vegetais, é uma forma de classificar o que comemos. A partir de um ponto de vista científico, se podem agrupar as frutas e legumes da mesma cor por causa de sua semelhança em uma série de compostos com destacadas propriedades saudáveis, médicas e nutricionais. Os vegetais de cor verde, como a alface, espinafre, brócolis , ervilhas ou feijões são as mais ricas em determinados nutrientes, como magnésio. Uma deficiência do consumo destes alimentos, juntamente com o acompanhamento de uma dieta baseada em alimentos refinados e freqüente consumo de açúcar pode levar ao défice deste mineral. O magnésio participa no processo de relaxamento muscular, daí que as consequências físicas de sua deficiência se manifestam com sensação de cansaço, sem uma causa aparente que o justifique, tensão muscular e cãibras. Os vegetais verdes combatem várias doenças, ao estimular a formação de enzimas que podem eliminar tóxicos e cancerígenos do organismo. Também, incluem outros compostos benéficos como o ácido fólico, que participa da produção de glóbulos vermelhos e brancos e na síntese de material genético e a formação de anticorpos do sistema imunológico. Contém também o mineral cálcio, que mantém os ossos e os dentes fortes e caroteno como a luteína, que ajudam a vista. As frutas verdes, como o kiwi, uvas verdes, limão são ricos em vitamina C, que ajuda a manter forte o sistema imune e participa no desenvolvimento de dentes e gengivas, ossos, cartilagens, absorção do ferro, crescimento e reparação do tecido conjuntivo, produção de colágeno, metabolização de gorduras, cicatrização de feridas. Incluem antioxidantes que nutrem e protegem a pele. Os carotenóides, como beta-caroteno, astaxantina, licopeno e retinol são derivados da vitamina A. Esses compostos são muito eficazes como antioxidantes e tem sido documentado que contêm propriedades fotoprotectoras ao combater as alterações induzidas pelos raios UVA. Isso se traduz em capacidade para reduzir ou minimizar a flacidez da pele e as rugas. Também ajudam a proteger a visão e fortalecem o sistema imunológico. As cenouras, a abóbora, a batata-doce, manga e mamão são os vegetais com maior concentração de tais compostos. Seguem-se em importância a outras frutas e produtos hortícolas, como frutas cítricas (tangerina, laranja e tangerina), o pêssego e o damasco. Estas frutas e verduras são ricas em fitoquimicos e potássio. As propriedades destes componentes são muito benéficos para o sistema circulatório. Previnem as doenças cardiovasculares, regulam a pressão arterial, reduzem o colesterol e, além disso, previnem a diabetes. São ricos em quercetina, uma molécula incolor do grupo dos flavonóides, que além de ação antioxidante tem efeitos anti-inflamatórios. A inflamação está associada ao endurecimento das artérias, o que é característico das doenças cardio e cérebro-vasculares. Um maior consumo de frutas de polpa branca, como as peras e as maçãs está associada a uma redução maior do risco de acidente vascular cerebral ou avc. Neste grupo cromático além de frutas como maçãs e peras, se inclui a banana e legumes e verduras como alhos, alhos-porros, cebolas, endibias, pepino, cogumelos e couve-flor. Os vegetais vermelhos contêm licopeno, pigmento solúvel em gordura que é quimicamente um carotenóide. O licopeno é um poderoso antioxidante, que não são sintetizados no organismo e deve ser integrado através da dieta. Há muitas evidências científicas de sua possível ação preventiva de vários tipos de câncer, principalmente de próstata. Também está relacionado com uma redução do risco de doenças coronárias. Neste grupo de vegetais, estariam os tomates, morangos, cereja, melancia, framboesas, beterraba vermelha, pimentão vermelho, granadas ou os rabanetes, que também contêm antocianinas, que são compostos fenólicos (flavonóides) antioxidantes. Ajudam a reduzir o risco de doenças do coração, têm efeitos anti-tumorais e anti-inflamatórios agentes, além da melhoria da acuidade visual e do comportamento cognitivo. As frutas roxas como as uvas roxas, amoras, mirtilo, ameixa frescas e secas, figos, amoras, groselhas negras, e os produtos hortícolas moradas, como a berinjela, repolho roxo, cebola roxa, beterraba, contêm muitos compostos benéficos, mas se destacam as antocianinas, polifenóis, resveratrol. Essas substâncias lhes atribuem propriedades preventivas na saúde cardiovascular e contribuem para a prevenção da hipertensão arterial por suas propriedades vasodilatadoras. Também contribuem para a saúde da memória e das vias urinárias. Estes compostos, juntamente com outros flavonóides ajudam a prevenir os efeitos do envelhecimento. Também ajudam na proteção contra alguns tipos de câncer. Contém, além disso, a vitamina C. Além disso, a maioria dos vegetais de todas as cores são muito ricos em fibra alimentar, constituída por hidratos de carbono complexos, que não são digeridas, favorecem as funções intestinais, ajudam a prevenir prisão de ventre, câncer de cólon e reto, diverticulose, diabetes mellitus, obesidade, hipercolesterolemia. Também, ajudam a melhorar o sistema imune. As porções recomendadas para a maioria da população são de cinco porções ao dia, entre todos os vegetais, mas se você for muito ativo deverá ampliar esse número até nove porções. E se você tem dificuldade para incorporar tantas rações em sua dieta, lembre-se dessas dicas para tomar mais vegetais em sua dieta:

Post Navigation