Mesmo que você acabou de terminar o verão, e com ele a "operação biquíni", onde todo o mundo se acabava de algum trabalho de meses, muitas pessoas (onde me incluo) comece a planejar desde já, a de 2014. Por isso decidi escrever-lhes uma série de artigos onde agruparé dicas para que em um tempo relativamente curto possais estar mais perto do corpo que estais procurando. Este é um dos fatores que mais alteram para a hora de fazer uma dieta, onde vemos dietas cujos percentuais de carboidratos são 60%, outros onde se adoptem as keto-diet com 5-10%, etc. Na minha opinião, a maioria das recomendações costumam funcionar devido ao deficit calorico, mas devido a que é uma abordagem a longo prazo me del chianti por esta: Para maximizar o potencial de queima de gordura na dieta devemos saber quando introduzir os alimentos, uma vez que, embora o défice calórico é o que realmente inclina a balança, podemos conseguir diminuir as barreiras que nos coloca nosso organismo quando estamos em déficit calórico. Ao ver o gráfico, podemos pensar que precisamos combinar proteínas e carboidratos para elevar a insulina, um fator chave da síntese proteica. No entanto, a realidade é diferente, a proteína por si só, é capaz de elevar bastante os níveis de insulina para esse efeito. Em seguida observamos como diferentes tipos de proteína aumentam os níveis de insulina, sendo de grande interesse a proteína de WHEY. Este efeito da proteína de soro de leite pode ser causado por altos níveis de glutamina, que como já sabemos é um excelente estimulador das células beta do páncreas2. Uma dúvida que pode surgir é que se por estar elevando a insulina a cada certo número de horas possa influenciar na perda de gordura, já que inibe a lipólise. Devemos pensar que a lipólise diminui com a presença de carboidratos, já que altos níveis no sangue são tóxicos (sintomas de diabetes), por esta razão o organismo prefere usar a glicose a gordura, não porque tenha preferência por esta última. Exemplo disso é o álcool, quando ingerimos bebidas alcoólicas nosso corpo prefere metabolizar o etanol antes de carboidratos ou gorduras, Quer dizer que nosso corpo prefere o etanol como fonte de energia? Não, simplesmente evita níveis elevados de este ser tóxico. Não nos esqueçamos de que qualquer macronutriente pude estimular a liberação de insulina, incluindo as gorduras através da colecistoquinina (CCK), contudo, os níveis de insulina elevados, e sua função é diferente na presença do macronutriente. Ao fazer refeições altas em proteínas e gorduras, a cada 5 horas se elevará a insulina, mas não diminuirá a lipólise, já que a única mudança que ocorre é uma maior oxidação de proteínas, dando lugar a Uréia e outros produtos que podem ser utilizados para sintetizar glicose (Gliconeogênese). Sem dúvida a parte mais importante de suas refeições. O peri-treino é o intervalo de tempo que vai desde 1h antes do treino até 3-4 horas. Na minha opinião, se pode ignorar a ingestão pré treino ou tomar um café para estimular a lipólise, já que a cafeína libera ácidos graxos no sangue, que são transportados até as células, para serem metabolizados. Desta forma, a combinação treinamento baixos níveis de glicose dão lugar a uma maior sensibilidade à insulina por parte dos músculos e uma supercompensação na síntese de glicogênio, este efeito se reflete nas pessoas que realizam o Ramadã, omitindo o desayuno7,8,9,10. Muitos detratores desta técnica argumentam que, ao não realizar a refeição pré-treino aumenta a fadiga, diminui a força, o desempenho e até mesmo se perde massa muscular. Não obstante, como veremos a seguir, a realidade é totalmente diferente. Como vemos no estudio10 as pessoas que realizavam exercícios de alta intensidade durante o Ramadã (jejum antes do treino), o aumento da massa muscular (FFM) após acabar com ele e mantiveram o mesmo percentual de gordura [BF(%)]. Fato que se reflete em seu peso [BW(Kg)]. Quanto ao desempenho esportivo, houveram diferenças importantes: Viu-Se que as pessoas que, em estado de jejum aumentaram sua potência máxima(PP) de 803.54 a 878.14. A potência média (MP) também aumentou de 591.71 a 617.24. Isso reflete que os níveis normais de glicose no sangue e baixos níveis de glicogênio muscular NÃO INFLUENCIAM O DESEMPENHO quando falamos de exercícios curtos, como pesos, onde é necessária uma grande força em um período muito curto de tempo. É, portanto, claro que grande parte do desempenho esta associado ao recrutamento de unidades motoras de diferente nível excitatorio (princípio do tamanho). Isto quer dizer que um treino progressivo de intensidade vai recrutar fibras onde chegados a um ponto, a maior parte das fibras musculares são estimuladas. Parte 2

Post Navigation